Como traduzir o RATHER

rather-hover-2O advérbio RATHER precisa de um pequeno jogo de cintura para ser compreendido. Isso porque às vezes ele significa UM TANTO, BASTANTE. Mas é usado também com o mesmo sentido de INSTEAD OF (“em vez de”). E em alguns casos, é mais bem traduzido com a expressão PREFERIR.

Veja alguns exemplos com sugestões para o português:

 

BASTANTE, MAS NÃO MUITO

We were rather disappointed.
Ficamos meio decepcionados.

We were rather tired after our long journey.
Estávamos um tanto cansados após nossa longa viagem.

I rather suspect…
Eu acho…

It doesn’t seem like a marriage with Mother Earth, but rather a punishment.
Não parece um casamento com a Mãe Terra, mas (mais propriamente) uma punição.

RATHER THAN

Work with them rather than against them.
Trabalhar com eles em vez de contra eles.

-I’ll have a sandwich rather than a full meal.
-Eu vou querer um sanduíche em vez de uma refeição (completa).

-Could I have tea rather than coffee?
-Eu poderia pedir um cá no lugar de café?

Many people choose to rent rather than buy houses.
Muitos escolhem alugar em vez de comprar casas.

Iron your clothes in one batch, rather than one item at a time.
Passe a roupa a ferro num só lote, em vez de um artigo de cada vez.

WOULD RATHER

I’d rather walk than wait for the bus.
Prefiro/preferiria ir a pé a esperar o ônibus.

I’d rather stay at home.
Prefiro ficar em casa.

-Would you rather I left?
-Você prefere que eu vá embora?

-Shall we go out? -I’d rather not.
-Vamos sair? -Prefiro não.

SURPRESA

It was a rather nice present!
Foi um presente e tanto!

The evening was rather fun!
A noite foi bem divertida!

This room looks rather messy.
Este quarto está uma bela bagunça.

Observe que mesmo não sabendo o significado exato de uma palavra, você a identifica pelo contexto.
É o que acontece com  I’ll have a sandwich rather than a full meal.
Mesmo que  full meal  lhe seja desconhecido, você a entende pela oposição em relação a  sandwich.

O mesmo ocorre em  buy  versus  rent, ou  one batch  versus  one item at a time.
A palavra  tired  só pode significar ‘cansado’ …após uma longa viagem.

Assim funciona o método IPL. De posse das estruturas gramaticais aprendidas no programa, é só uma questão de aumentar o vocabulário por meio de leituras diversas.

Gostou? deixe um comentário!

Anúncios

WHO, WHICH, THAT

whoAs palavras WHO, WHICH e THAT às vezes substituem nosso QUE. Gramaticalmente seriam chamadas de pronomes relativos. Por exemplo: O chá QUE eu fiz pra você – The tea THAT I made for you.

O interessante é que em muitos casos eles são omitidos nas frases: The tea I made for you.

The tomatoes I bought yesterday are all bad – Os tomates (que) eu comprei ontem estão todos ruins.

Existem algumas regras de quando se pode e quando não se pode fazer essa omissão. Não é necessário perder tempo com isso!

Para nosso interesse, de leitor, basta o praticante do IPL saber que, quando aparece uma frase como  The film I saw  na verdade poderia ter sido escrita  The film that I saw   (O filme QUE eu vi), como normalmente usamos em português.

Veja outros exemplos de omissão do pronome relativo:

The language she spoke – A língua (que) ela falava.

A man I helped – Um homem (que) eu ajudei.

The car you bought – O carro (que) você comprou.

The man I phoned spoke spanish – O homem (pra quem) eu telefonei falou espanhol.

The train you want leaves at 10.00 – O trem (que) você quer sai às dez.

They played a lot of music I didn’t like – Eles tocaram muita música (que) não gostei.

That book you suggested to me is very good – Aquele livro (que) você me sugeriu é muito bom.

The house we found was very dirty – A casa (que) nós encontramos estava muito suja.

E aqui, alguns exemplos com a preposição “sobrando”, conforme tratado no post passado:

The girl I was talking about.  –  A garota [sobre a qual] eu falava.

The people I work for.  –  As pessoas [para quem] eu trabalhei.

The music you’re listening to.  –  A música [que] você esta escutando.

Esperamos que essas dicas ajudem a facilitar sua prática de leitura!

Preposições Sobrando

phrasal-verbs-give-upAlgumas vezes o leitor iniciante encontra umas frases em que parece haver “palavras fora de lugar” ou “sobrando”. A palavra WITH (com) na seguinte frase, por exemplo:

Maria is the friend she lives with.
(Maria é a amiga com quem ela mora)

Parece estranha a posição da partícula WITH solta na frase, mas ela pertence à expressão TO LIVE WITH (morar com) e tem de aparecer pra completar o sentido da oração.

Esse uso é freqüente também em perguntas:

-Who did you go with?
(Com quem você foi?)

Veja alguns outros exemplos:

A boy that I went to school with. (Um garoto com quem eu fui para a escola)
The girl that I was talking about. (A garota sobre quem eu estava falando)
The people that I work for.  (As pessoas pra quem eu trabalho)

Às vezes esse THAT que faz a ligação nem aparece:

The house that I live in.  ou  The house I live in.
The music that you’re listening to.  ou  The music you’re listening to.
The bus that I go to work on.  ou  The bus I go to work on.

Veja ainda uns exemplos com orações compostas, que trazem mais confusão no princípio do nosso treinamento:

The man she works for gave her flowers.  (O homem para quem ela trabalha lhe deu flores)
The woman he plays tennis with gave him a book.  (A mulher com quem ele joga tênis lhe deu um livro)
The boy Alice is in love with gave her chocolates.  (O garoto por quem Alice está apaixonada deu a ela chocolates)

Conforme a filosofia do Método IPL, não ensinamos a usar essas expressões, mas a identificá-las quando aparecem em sua leitura. E isso já é uma mão na roda.

Fique atento!

Alguns sentidos da palavra LIKE

You-Like-Coffee-I-Like-Tea-279x300Num post anterior, vimos algumas palavras que têm diferentes significados em inglês. Ao chegar no Nível II do IPL, você verá que a palavra LIKE é uma delas. Seu uso mais comum seria o verbo GOSTAR:

I like learning English.
Gosto de aprender inglês.

I like hamburgers more than hot dogs.
Gosto mais de hambúrger do que de cachoro-quente.

Mas LIKE é usado também para comparações:

That man looks like Obama.
Aquele homem parece Obama.

One of these things is not like the other.
Uma dessas coisas não é como a outra.

Algumas vezes, seu significado chega próximo do “such as” (tal como):

Technologies like smart phones and tablets are changing business.
Technologies such as smart phones and tablets are changing business.

Tecnologias como smart phones e tablets estão mudando os negócios.

O mesmo para “as if” (como se):

They spend money like they’ve just won the lottery.
They spend money as if they’ve just won the lottery.

Eles gastam dinheiro como se tivessem ganhado na loteria.

A melhor forma de memorizar essas diferenças é como fazemos com o método IPL: traduzindo na prática frases em que essas palavras são usadas em todos os seus sentidos.

Boa sorte!

O que é USED TO em inglês?

driveonleft amareloQuando começa a praticar a leitura do inglês, algumas expressões que parecem ser uma coisa são outra.
É o caso do USED, que é um verbo no passado, facilmente identificável por terminar em -ED): “utilizado, usado”.

Mas este mesmo USED pode traduzir nosso “acostumar”, “estar acostumado”.

Exemplo:

Paulo mora em Londres há três anos. Quando dirigiu um carro por lá pela primeira vez, ele achou estranho, porque o volante fica no lado direito. Paulo tinha de dirigir à esquerda (to drive on the left) em vez de à direita (on the right), como no Brasil.

Paul wasn’t used to it
(Paul não estava acostumado com isso)

He wasn’t used to driving on the left
(Ele não estava acostumado a dirigir na esquerda)

Mas depois de alguma prática:

He got used to driving on the left
(Ele se acostumou a dirigir na esquerda)

Agora, depois de três anos:

He is used to driving on he left
(Ele está acostumado a dirigir à esquerda)

Paul used to drive to work every day.
(Paulo costumava dirigir pro trabalho todo dia)

Observe que o USED, neste sentido, é sempre acompanhado do TO.

Frank is used to living alone
(Frank está acostumado a morar sozinho)

They’ll have to get used to the noise
(Eles terão de se acostumar com o barulho)

I’m not used to.
(Não estou acostumado)

Quando estiver praticando no método IPL, lembre-se disso.

Boa sorte!

O texto da Bíblia e o aprendizado de línguas estrangeiras

Por muito tempo a Bíblia foi um instrumento prático para o aprendizado de uma língua estrangeira. Como ela existia em diversas traduções, e tem seu texto dividido em pequenos versos numerados, ficava simples comparar-se o texto da língua-alvo, a ser aprendida, com o da língua materna. Ou o do latim, quando essa não existia.

Era um método trabalhoso, mas bastante usado, e confirma um dos pressupostos do Método IPL: é possível aprender apenas a traduzir uma língua estrangeira, sem saber falar, ouvir ou escrever essa língua.

Para ter uma idéia desse método, veja o primeiro versículo da Gênese, o primeiro livro da Bíblia, “No princípio criou Deus o céu e a terra”, em algumas línguas:

biblia_medieval

Latim:
In principio creavit Deus cælum et terram.

Alemão:
Im Anfang schuf Gott Himmel und Erde.

Italiano:
In principio Dio creò il cielo e la terra.

Inglês:
In the beginning God created the heaven and the earth.

Esperanto:
En la komenco Dio kreis la ĉielon kaj la teron.

Francês:
Au commencement Dieu créa le ciel et la terre.

Não é muito difícil comparar cada um desses termos com o equivalente português. E aqui fica uma dica interessante para quem já terminou o treinamento do IPL. Existe um projeto linguístico chamado Basic English. Vou tratar deste tema posteriormente, mas em resumo o Basic English é uma simplificação da língua inglesa. Seu vocabulário é composto por 850 palavras selecionadas pelo seu criador, Charles Kay Ogden.

Existe uma tradução da Bíblia em Basic English. Por curiosidade, veja como fica a narração do assassinato de Abel por Caim, o capítulo 4 da Gênese, com vocabulário reduzido.

  1. And the man had connection with Eve his wife, and she became with child and gave birth to Cain, and said, I have got a man from the Lord.
  2. Then again she became with child and gave birth to Abel, his brother. And Abel was a keeper of sheep, but Cain was a farmer.
  3. And after a time, Cain gave to the Lord an offering of the fruits of the earth.
  4. And Abel gave an offering of the young lambs of his flock and of their fat. And the Lord was pleased with Abel’s offering;
  5. But in Cain and his offering he had no pleasure. And Cain was angry and his face became sad.
  6. And the Lord said to Cain, Why are you angry? and why is your face sad?
  7. If you do well, will you not have honour? and if you do wrong, sin is waiting at the door, desiring to have you, but do not let it be your master.
  8. And Cain said to his brother, Let us go into the field: and when they were in the field, Cain made an attack on his brother Abel and put him to death.
  9. And the Lord said to Cain, Where is your brother Abel? And he said, I have no idea: am I my brother’s keeper?
  10. And he said, What have you done? the voice of your brother’s blood is crying to me from the earth.

Vejam que a palavra ‘became’ (tornou-se) repete-se três vezes nesses dez versos.

Também três vezes a estrutura do genitivo:
“Abel’s offering” (oferenda de Abel)
“my brother’s keeper” (o guarda/encarregado de meu irmão)
“your brother’s blood” (sangue de seu irmão)

O verbo “said” (disse) aparece seis vezes!

E assim por diante. Treinar a leitura de textos cujo tema já é conhecido é excelente estratégia para fixação de estruturas gramaticais e aumento de vocabulário.

Você pode ver todo o texto da Bíblia em Basic English neste link.

A técnica Kaizen e o Inglês Para Leitura

kaizen

O termo japonês Kai-Zen (mudança para melhor) significa pequenos passos através de melhoria gradual, contínua, na vida em geral, pessoal, familiar, social e profissional.

Apesar de a Administração ter-se apoderado com sucesso desta ideia desde fins da II Guerra, voltando a genialidade do conceito para o aumento da produtividade industrial, a filosofia Kaizen é muito prática e cotidiana. Ela é um antídoto contra as mudanças radicais, ambiciosas, de difícil implementação. Sua divisa é: inicie o processo de mudança em etapas pequenas e confortáveis, para facilitar sua implementação, seu aperfeiçoamento e com ele, a continuidade.

Sua justificativa é bastante lógica: as dificuldades da mudança. Quando estas ocorrem em curto tempo, radicalmente, é raro prosperarem e quase sempre retornam gradualmente aos velhos hábitos. É que nossas redes neuronais evoluíram no sentido de fazer com que a gente repita o que deu certo no passado. Para não ter de raciocinar de novo.

Inconscientemente escolhemos o mesmo caminho para ir ao trabalho; sentamos no segundo dia de aula no mesmo banco do primeiro dia; preferimos os mesmos tipos de filme; repetimos cardápios, roupas, hábitos.  É uma estratégia evolutiva de economia de energia. Por isso é tão fácil ser o que já somos. E tão difícil melhorar – já que não existe aperfeiçoamento sem mudança!

É aí que a porca torce o rabo. Naturalmente nosso cérebro vê a mudança como um padrão estranho, diferente, ou que vai requerer sua energia e esforço. E aí acontece que terminamos por sabotar a dieta, a malhação, o propósito de ano novo, o cursinho de língua, o desejo de aprender a tocar um instrumento.

Uma jornada de mil milhas começa com um único passo – Lao Tsé

Lao Tsé

O que o Kaizen propõe? Em vez de despender grandes esforços, o Kaizen visa primeiro criar um senso de propósito por meio de um pequeno passo. Em vez de uma dieta para perder 20 kg com uma disciplina rígida, o Kaizen simplesmente começaria um processo de ação orientada de mudança progressiva – caminhar em casa por 45 segundos todos os dias! O segredo está na repetição da ação, não no desejo de perder os vinte quilos. Em vez de se martirizar por não ler nem um livro por ano, combine com você mesmo de ler uma única página todas as noites. Vou passar fio dental em um único dente diariamente!

Não se trata de auto-engano. Se você caminhou seus 45 segundos, comemore – cumpriu sua tarefa. Começar pequeno – e contínuo – vai naturalmente trazer menos resistência neuronal (medo de mudança) e mais possibilidades de sucesso. E de progresso, que é conseguido aumentando-se a carga gradativamente, à medida que o hábito vai se consolidando. Acrescente um minuto à caminhada a cada semana. Incremente um dente à sua higiene bucal samurai. Passe para duas páginas na segunda semana.

Como essa técnica se aplica ao nosso método? O IPL é Kaizen por natureza! Aprender inglês, uma língua estrangeira, gramática, vocabulário, exercícios, seis anos – tudo isso evoca em você uma enorme sensação de esforço e dispêndio de energia? Pense Kaizen! Aprenda apenas a ler primeiro. Aprenda as 250 palavras mais usadas primeiro. Aprenda frase por frase.

Comprometa-se a traduzir no mínimo uma frase do IPL todos os dias, ao abrir o PC, ou ao acessar o smart phone. E vá aumentando para duas, três, quatro, a cada semana. A chave é não perder um dia. A constância vale mais que a quantidade.

A partir do seu sucesso com o IPL, transponha essa ferramenta simples e eficaz para outras áreas de sua vida. E não pare de melhorar nunca. É como dizem os estadunidense: “Cultive uma ação e terás um hábito. Cultive um hábito e terás um caráter. Cultive um caráter e terás um destino”.