Mesma palavra, diferentes significados

playsMuitas palavras em inglês mudam sua classe gramatical sem sofrer alteração em sua forma. Por exemplo, a mesma forma PLAY pode mostrar tanto uma ação (verbo jogar, brincar, representar) quanto um nome (o jogo, uma brincadeira, uma peça de teatro):

  • Shakespeary wrote many great plays – peças
  • The company is playing in London this week – representar
  • The girl wants to play with her friends – brincar

Para alcançar o significado, temos de atentar para sua posição em relação às outras palavras.

O meio mais fácil é identificar logo o verbo principal do que é dito – sempre há um -, o que evita confusão com demais formas parecidas: “A palavra ‘plays’ aqui é o verbo “joga” ou a palavra “peças teatrais”?

Se o verbo principal estiver identificado, tudo fica mais fácil.

Veja exemplos com WORK, que é tanto trabalho, obra, quanto trabalhar.

  • She has done a lot of work on this project
  • He left his work at 5.30 p.m.
  • He works at the factory three days a week
  • These works were composed in 1816

Agora, algumas dicas de palavras bastante usadas que possuem diferenças de significado:

BUT

Além de mas, porém, but também tem o sentido de EXCETO:

  • no-one but me – ninguém além de mim
  • the next road but one – a próxima rua depois de [exceto] uma

SAY

He says, she said é o verbo dizer. Mas say também tem o sentido de “palavra, direito de voz”:

  • We have no say in the decision.

E saying pode significar provérbio, dito popular.

WILL

will é usado para formar o futuro: We’ll go at six o’clock tonight.

Mas como substantivo, will também significa vontade, ou mesmo testamento!

  • He has lost the will to live – Ele perdeu a vontade de viver.
  • Have you made a will yet? – Você já fez um testamento?

ONE

Além do numeral um, ‘one’ também faz as vezes de pronome:

  • I’ll buy the red one – Comprarei aquele vermelho
  • One can see the city from here – Alguém pode ver a cidade daqui

LIKE

O uso de like como verbo gostar é mais conhecido do que o de adjetivo ‘parecido’:

  • They’re as like as two peas – Eles são parecidos como duas ervilhas

Outros usos:

  • She is like her mother
  • No one does it like he does

Também likely é muito usado com o sentido de “provável”:

  • The likely result – O resultado provável
  • It’s likely that she’ll succeed – Provavelmente ela será bem-sucedida

Achou interessante? Deixe seu comentário!

Por que os cursos regulares não funcionam

Os resultados que costumamos observar nos cursos de línguas, do inglês em especial, são deploráveis. Após 3 ou 4 anos de estudo, um percentual muito pequeno dos estudantes consegue manter um diálogo elementar com um estrangeiro.

Eis algumas razões para o fiasco dos cursinhos:Image courtesy of FreeDigitalPhotos.ne

O material utilizado não reflete as necessidades do estudante. Em cursos regulares, os professores estão atrelados ao material e à seqüência imposta por eles.

O nível do curso vai tão rápido quanto o nível do aluno mais lento. É comum a divisão beginning/intermediate/advanced, o que não reflete a disparidade de desempenho dos alunos. Em alguns cursos de alemão para estrangeiros na Alemanha, por exemplo, há vinte níveis de competência diferentes para enquadrar os alunos!

Conversação pode ser aprendida, mas a fluência lingüística depende mais de praticar o certo do que aprender o certo. Regras gramaticais são aprendidas por meio de exercícios e aulas, mas as habilidades necessárias para uma conversação, como vocabulário e expressões idiomáticas, só vêm com estudo independente e prática em um ambiente de fala nativa.

Professores em geral são prescritivos e não descritivos. Eles tendem a explicar, usar e defender uma linguagem recomendada, que não é necessariamente a do dia-a-dia, apesar de mais escorreita.

Os cursos não utilizam critério de freqüência de uso. O estudante poderia economizar tempo se lhe fosse explicado o que praticar baseando-se no que é mais freqüente, tanto para o vocabulário quanto para fatos gramaticais. Por exemplo, seria mais prático em português ensinar a usar o verbo IR (vou) mais o infinitivo (procurar, comer) para explicar como usar o futuro (vou procurar, vou comer) do que a conjugação “procurarei”, “comerei”, menos usada. Mesmo quando ensinam ambos os fatos, os professores tendem a gastar a mesma quantidade de tempo com os dois.

Choque de interesses. O objetivo do estudante deve ser, como alguém que faz aulas de direção, abandonar o instrutor o mais rápido possível. Já o curso é estruturado para manter o aluno ao longo dos seis, oito semestres regulares.

Nosso conselho: Separe o estudo da gramática da prática de conversação. Adote materiais como livros e gibis originais. Há romances com vocabulário reduzido que são excelentes para fixação de estruturas linguísticas. Mas só leia textos em inglês que você leria (ou já leu) em português. O interesse no material tem relevância absoluta nesse caso!

Concorda? Tem mais ideias? Gostou? Deixe seu comentário!

Ações, coisas e qualidades em inglês


lifewithmistydotcom

Como está explicado no post As 100 palavras mais usadas no Oxford English Dictionary, infelizmente essas palavrinhas via de regra não são coisas concretas, como book ou table. Elas são conectivos, termos usados para unir, relacionar as demais palavras ou partes das orações.
Por exemplo, o OF é o quarto termo mais usado no inglês escrito. É basicamente o nosso DE.

Book of the year = Livro do ano

Bom, ninguém terá paciência para decorar uma lista com palavras como de, por, o, mas, onde, que, quais… A metodologia IPL Inglês Para Leitura já faz isso sem que o leitor se dê conta, acrescentando a esses conectivos as demais palavras mais comuns.

Mas e se eu quiser direcionar meu aprendizado para as coisas, os chamados substantivos mais comuns do inglês? E como damos qualidades a essas coisas, quais dessas qualidades (adjetivos) aparecem com mais frequência nos textos escritos? E as ações? Quais os verbos mais usados, que devo aprender logo para não ter de recorrer ao dicionário a todo tempo?

Seguem três listinhas, retiradas do Oxford Dictionaries com as 25 palavras mais comuns de cada classe. É claro, muitas vezes uma palavra é muito comum por aparecer em duas classes ao mesmo tempo. Por exemplo, think é tanto ‘pensar’ quanto ‘pensamento’. Mais um motivo para aprendê-lo logo.

Divirtam-se!

Nouns
1 time
2 person
3 year
4 way
5 day
6 thing
7 man
8 world
9 life
10 hand
11 part
12 child
13 eye
14 woman
15 place
16 work
17 week
18 case
19 point
20 government
21 company
22 number
23 group
24 problem
25 fact
Verbs
1 be
2 have
3 do
4 say
5 get
6 make
7 go
8 know
9 take
10 see
11 come
12 think
13 look
14 want
15 give
16 use
17 find
18 tell
19 ask
20 work
21 seem
22 feel
23 try
24 leave
25 call
Adjectives
1 good
2 new
3 first
4 last
5 long
6 great
7 little
8 own
9 other
10 old
11 right
12 big
13 high
14 different
15 small
16 large
17 next
18 early
19 young
20 important
21 few
22 public
23 bad
24 same
25 able

As 100 palavras mais usadas no Oxford English Dictionary

News100610Words_610_300_s_c1_center_center_red

Esta é a lista das 100 palavras mais comuns em textos escritos em inglês, segundo pesquisa no corpus do Oxford English Dictionary:

1 the
2 be
3 to
4 of
5 and
6 a
7 in
8 that
9 have
10 I
11 it
12 for
13 not
14 on
15 with
16 he
17 as
18 you
19 do
20 at
21 this
22 but
23 his
24 by
25 from
26 they
27 we
28 say
29 her
30 she
31 or
32 an
33 will
34 my
35 one
36 all
37 would
38 there
39 their
40 what
41 so
42 up
43 out
44 if
45 about
46 who
47 get
48 which
49 go
50 me
51 when
52 make
53 can
54 like
55 time
56 no
57 just
58 him
59 know
60 take
61 people
62 into
63 year
64 your
65 good
66 some
67 could
68 them
69 see
70 other
71 than
72 then
73 now
74 look
75 only
76 come
77 its
78 over
79 think
80 also
81 back
82 after
83 use
84 two
85 how
86 our
87 work
88 first
89 well
90 way
91 even
92 new
93 want
94 because
95 any
96 these
97 give
98 day
99 most
100 us
 

Quais as palavras mais usadas em inglês?

Se você for fazer uma viagem e não tiver tempo para escolher muita roupa, será mais inteligente levar o que poderá ser usado no destino com mais frequência. Digamos, jeans e camisetas; um blazer preto; um sapato básico que sirva para usar no shopping ou ir a um restaurante… time-after-time-after-rimePois é. Para viajar a um novo idioma também é mais esperto escolher primeiro os “jeans e camisetas” do vocabulário daquela língua! Isso é, as palavras mais usadas em meio às centenas de milhares de palavras existentes. O Oxford English Dictionary registra mais de 600 mil verbetes. Mas há um estudo genial em cima dos mais de dois bilhões de palavras usadas nos vinte volumes desse dicionário. Eis a boa notícia: apenas 10 palavras representam surpreendentes 25% do total de palavras ali usadas! Isso quer dizer que a cada quatro palavras que você ler ali, uma delas será: the, be, to, of, and, a, in, that, have ou I! (Para esse estudo, ‘be’ significa ‘is’, ‘are’, ‘was’ etc). E apenas as 100 palavras mais comuns do inglês representam 50% desse oceano vocabular. Como toda língua nacional, o inglês consiste em um pequeno número de palavras muito, muitíssimo comuns, um número um pouco maior de uso intermediário, e uma cauda sem fim de termos raros. Bom, o detalhe é que essas palavras comuníssimas não são nomes de coisas, como ‘book’ ou ‘table’.  Elas são aqueles termos curtos, que unem as palavras das frases. Tais como: para, não, com, você, este, mas, ou, de, meu

Veja as 100 palavras mas frequentes neste post!

Então, não adianta você tentar decorar essa lista, da primeira à última, fora de contexto. É interessante que elas estejam em frases com sentido. O método IPL faz isso, trazendo frases com esses termos em sequência, apoiados em cinco níveis de contextos gramaticais diversos. Por exemplo, a maioria das frases escritas usa o passado dos verbos, não o presente nem o futuro. Então é importante aprender isso primeiro. Bom, se ‘book e ‘table’ não são os nomes de coisas mais usados, para desgraça de nossos cursinhos escolares, qual o substantivo mais citado em textos? É a palavrinha TEMPO: time. E para ganhar ‘tempo’, use a metodologia do IPL, que é comprovadamente eficaz, e em poucos dias você estará dominando mas de 70% de textos informativos. Good luck! (A propósito, good é o adjetivo mais usado em inglês!)

Posso aprender a ler inglês sem saber falar inglês?

Bem-vindo ao Blog da Comunidade IPL!

Nossa comunidade é formada pelos que seguem a metodologia exclusiva do IPL, ou por quem quer receber dicas de aprendizado acelerado de leitura em inglês.

Nosso objetivo é o mínimo de esforço no aprendizado.

Nosso pressuposto é: dá para aprender a ler inglês – mesmo sem saber falar ou escrever. São habilidades diferentes, e se você não está disposto a fazer um curso de seis anos – para aprender reading, talking, writing, listening – mesmo assim você pode aprender a ler com desenvoltura textos informativos ou técnicos em inglês.

Com o IPL você descobrirá que o inglês é difícil de entender, de falar e de escrever corretamente. Mas é fácil aprender a traduzir textos.

Cerca de 60% de todos os textos informativos em inglês são compostos de apenas 250 palavras.

Aprender o significado das palavras mais freqüentes é a forma mais inteligente para a proficiência na leitura. E saber traduzir informação em inglês é a necessidade básica de profissionais, estudantes e concursandos.

Como o IPL faz isso?

O IPL usa frases contendo as 300 palavras mais freqüentes do inglês, e as apresenta ao leitor de forma inteligente, de acordo com os erros e acertos de cada um. E com modelos gramaticais progressivos.

Gramática não será ensinada formalmente, e isso não é necessário. As frases já contêm os itens gramaticais numa sucessão inteligente, do mais simples ao mais complexo. A seleção inteligente de frases do IPL, de acordo com os erros, garante que o leitor veja cada modelo gramatical no mínimo em 7 frases em diferentes contextos.

Aguarde novos posts com dicas e truques para acelerar seu aprendizado e facilitar sua prática.

Para quem quiser começar a praticar a metodologia:

http://inglesparaleitura.com.br/index.php/component/users/?view=registration